quarta-feira, 4 de março de 2009

Se o importante é a alma, qual é o valor disso tudo?
Por que não a vida ao ar livre, a brisa no rosto e as mãos entrelaçadas?
Estar é difícil, mas continuar depende de cada um. O meu eu me chama para o lado de lá, junto ao teu, onde quero ficar.
Se os erros são os mesmos, os acertos virão também. As chances nós criamos, o destino nos leva. Se amamos já não importa dizer o que convém.
Dueto de um só ser. Inspiração, lutas contra mim mesma, expiração...
O fim faz parte de um novo começo. Sentir você, parar no tempo. Demasiada fantasia do ser. Alguns minutos a mais e tudo se quebra. Fragilidade inconsciente.
Com tanto mundo, tanto erro, tanto muito...Quanto nada. Há um vazio, há uma porta. Oco sem chave.
O caminho não consiste numa abertura e uma noite. São dois eus num só pensamento, formado em : _Oi, também existo!
Te encontro por aí, preencho o que lhe mentem, digo-te as verdades e expulso fantasmas de quando o nunca era tão perto.
Agora que te arrumas para mais um, pensa bem... Um trago, um gole, um cheiro. Se não tem algo que vale mais, entrego agora os pontos. Vai, goze mais essa vez. Mais tarde a ânsia passa, os carros vão, as ruas param e você sempre estará aí...Diariamente.
Às voltas por um caminho nunca percorrido.Florescendo pelo meu rosto o ardor do verão, o inverno esquecido de tédio. Quando não estou aqui, tua companhia me completa, me deixa segura de ser, e apenas ser me basta.Ao oceano restante, espalho a satisfação do nosso corpo suado,e, aos que queiram saber, deixo escapar o gozo. Se a alegria da alma transborda, não me culpe por estar tão junta deste contentamento. Bastasse uma lágrima para tua eternidade e eu choraria. Enquanto escuto teu som, me faz bem estar parada. E se por uns instantes esse meu riso exceder o teu limite, me volto ao pranto dos amantes que se calam. Me faz bem teu ar de não saber o que dizer...E o de dizer tudo. Extinção do silêncio que gritava dentro de mim.

terça-feira, 3 de março de 2009

Por uns instantes a lei é outra, e como numa sustentação do insustentável, precisamos dizer a que estamos aqui. Qual a função do ser e a loucura da mente? É um brinde ao imperfeito, que caminha a passos tortos para a perfeição. A atração dos corpos e o transe na alma. A verdade oculta dentro de si mesmo. Quando estamos aqui, a realidade grita e os ecos já não são as perturbações de sonhos de areia . A idade da alma desmente a do corpo.

* E quem procura e não encontra??É um mal? Por que não dois?Quando fazemos as contas, sempre vai sobrar um e faltar outro..E esses nunca vão se encontrar..Porque é fato que um lado não encontra o outro, assim como as faces da moeda..E sempre a existência vai estar lá, provando q nem tudo são flores.. Mas que até mesmo as flores tem espinhos..E tudo sempre vai ferir minha'lma, escorar minha face e derramar meu pranto.Santo tanto pranto..E canto..Canto..

* Um dia vai estar ali do lado e eu direi: Bom dia..Nada mais breve que um despertar sozinho..Valsa a dois, mentira triangular...Como faz pra te ter? E se me perco, como me encontras?E se me encontras, como digo que não sou eu?E se não sou...o que é que eu fiz com essa vida?Me perdi.. ou te? Dorme que amanhã o dia vem.. Fulgaz ou tranquilo, alegre ou triste, despertará ou não..Hoje não, só quero amor...